segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

O que esperar de Caio Torres?

Na última sexta-feira (30), o Vasco anunciou em seu site oficial a contratação do pivô Caio Torres para o restante do NBB 11. O atleta disse estar motivado para retornar ao Rio de Janeiro e atuar pelo cruzmaltino.

Os torcedores, por sua vez, indagaram sobre sua forma física e de que maneira Caio poderá ajudar o Vasco no NBB. Então vamos tentar elucidar!

Trajetória:

Caio Torres é natural de São Paulo, tem 31 anos e 2,10m. Começou a carreira no Pinheiros, atuou em quatro times espanhóis, Flamengo, São José dos Campos e Mogi das Cruzes, seu último time no Brasil.

Pela seleção brasileira, Caio Torres atuou no grupo vice-campeão em 2011, em Mar del Plata. Na ocasião, o Brasil se classificou para as olimpíadas de Londres 2012.

Em 2018, transferiu-se para o Olímpico (Argentina) onde jogou quinze partidas (8p e 5 rebotes - 15min). Caio tinha sido contratado para tentar classificar a equipe argentina para o Super20. Por não conseguir atingir o objetivo, o técnico do Olímpico dispensou o brasileiro.

Títulos:

Campeão NBB 12-13 (Flamengo)

MVP Finais

Copa América 2005

Sul-americano 2006

Ouro PAN 2007


De que forma Caio vai ajudar o Vasco?

O treinador Alberto Bial já comentava, em suas entrevistas, que o Vasco precisava de outro pivô, principalmente após a saída do norte-americano Sam Muldrow. Para o jornalista Felipe Souza, Bial contou que Caio deve estrear contra o Pinheiros, em dezembro, no Ginásio de São Januário.

Após o anúncio da contratação, muitos torcedores perguntavam aos especialistas como o pivô ajudaria a equipe do Vasco.

Caio é um pivô dominante, que se destaca pela vontade debaixo do garrafão. Mas não pense que ele não sabe arremessar. Na última edição do NBB, o pivô apresentou um repertório interessante nas bolas de três pontos, com 35% de aproveitamento, o melhor número de sua carreira no quesito. Apesar de sua altura, Caio Torres tem facilidade nos arremessos de quadra.

No elenco do Vasco, apenas Lupa faz a função de pivô clássico. No entanto, Bial gosta de atuar com times mais baixos. Portanto, Pilar faz a função de 5. Com a chegada de Caio Torres, o treinador poderá escalar cada jogador em sua devida função. Além disso, será outro líder dentro do elenco.

O balanço da contratação do atleta, portanto, é positivo. Mesmo sua parte física sendo uma incógnita, o torcedor vascaíno pode ter a certeza de ver um jogador com qualidade e aguerrido dentro de quadra.

Por: João Pedro Farah

domingo, 16 de setembro de 2018

Após duas prorrogações, Vasco vence o segundo jogo da semifinal
Por: Eric Miranda

Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama 

Neste último sábado (15), o Vasco recebeu o Botafogo no Ginásio de São Januário, em busca da vitória para seguir na competição. O Botafogo venceu a primeira partida da série, em General Severiano, e uma vitória em São Januário garantiria a classificação para a final do Campeonato Estadual. Vale lembrar que as equipes se enfrentaram duas vezes durante o período classificatório, ambas vencidas pelo Botafogo. Os confrontos ficaram marcados por muita intensidade, dos dois lados da quadra, o que resultou na expulsão no jogo anterior dos jogadores Jamaal, do Botafogo, e Pilar, do Vasco.

Para o Vasco só a vitória interessava. Iniciou o jogo já com uma defesa agressiva, o que resultou em alguns erros do Botafogo. O Vasco chegou a abrir oito pontos de vantagem, principalmente por conta dos pontos de contra-ataque. Aos poucos o Botafogo se encontrava na partida, com mais tranquilidade para trabalhar a bola no ataque e pontuar.

Ajude nosso projeto conseguir fazer a cobertura completa durante toda a temporada. Clique aqui e colabore!

No segundo quarto o jogo se inverteu. O Vasco, que começou melhor, teve muitas dificuldades de converter seus arremessos. Além disso, com a segunda unidade em quadra, a defesa perdeu a consistência do início, o que facilitou as jogadas de pick and roll no garrafão vascaíno. Os desfalques de Vithinho, com uma lesão muscular e de Pilar, expulso no último jogo, deram espaço para o jovem Gabriel, de apenas 17 anos, ganhar mais minutos na rotação já no segundo quarto. Com apenas nove pontos no quarto, o Vasco perdeu a vantagem construída no início e foi para o intervalo em desvantagem no placar.

 O Vasco procurou acelerar o jogo a fim de reduzir a vantagem do Botafogo já no terceiro quarto. Embora tenha tido um ataque eficaz, pecou em jogadas pontuais para virar a partida. Com pouco mais de quatro minutos no relógio, a vantagem do Botafogo caiu para cinco pontos, mas o Vasco não conseguiu manter a consistência necessária para virar a partida. No último quarto, o cruzmaltino voltou com a postura que iniciou o jogo, com um time vibrante e contando com a força da torcida, virou o placar com uma cesta e falta do pivô Lupa. Perto do fim, o armador Holloway teve algumas chances de ganhar o jogo, mas desperdiçou lances livres e a última posse de bola da partida.

Na prorrogação, o Vasco começou melhor novamente com duas bolas de três seguidas. Sem contar com sua rotação completa, a equipe cruzmaltina acabou prejudicada pelo excesso de faltas em seus jogadores. O primeiro excluído do jogo foi Alexei, armador titular da equipe. Logo depois, Gemerson e Lupa, também titulares, estouraram o limite de faltas. Mesmo com uma vantagem de cinco pontos faltando apenas dois minutos para o fim, o Vasco não conseguiu segurar a vantagem e permitiu o empate ao Botafogo. 

Na segunda prorrogação foi o Botafogo que começou melhor, ao abrir cinco pontos já perto do fim. Foi que então, apareceu o grande destaque do jogo: Duda Machado. Com duas bolas de três improváveis, o ala armador que jogou 49 minutos e contribuiu com 34 pontos, deu a vitória ao time de São Januário. Exausto, o jogador passou mal em quadra logo depois, mas ganhou os aplausos dos torcedores vascaínos presentes. Vitória do Vasco, que empata a série em 1 a 1 e leva a decisão para General Severiano. Próximo jogo será na terça-feira, às 20 horas, com torcida única do Botafogo.

Duda foi o maior destaque da partida / Vasco Basketball


PONTUADORES: 

Duda: 34
Holloway: 20
Gemerson: 19
Lupa: 8
Alexei: 6
Rafa Oliveira: 5

ASSISTÊNCIAS:

Alexei: 4
Duda: 4
Holloway: 3
Gemerson: 2
Lupa: 1
Rafa Oliveira: 1

REBOTES:

Holloway: 13
Lupa: 8
Duda: 5
Gemerson: 4
Muldrow: 3
Alexei: 2
Rafa Oliveira: 2
Lucão: 1

sábado, 15 de setembro de 2018

Um clássico pegando fogo
Imagem: Igor Soares / Vasco Basketball  

A vitória do Botafogo sobre o Vasco na noite desta terça-feira (11/09), em jogo válido pela primeira partida da semifinal do Carioca, fez com que a equipe de São Januário ligasse o alerta, já que ainda não venceu nenhum clássico nessa temporada. Todos os jogos contra Botafogo e Flamengo foram bastante pegados, com clima de derby. Toda essa entrega dos jogadores acabou sendo interpretada do lado do Vasco como algo violento.
Na primeira partida, válida pelo primeiro turno da fase de grupos do Carioca, houve muito bate boca entre os integrantes das duas comissões técnicas e alguns jogadores, a discussão mais ríspida foi entre Jamaal e Pilar. Neste jogo, Ansaloni foi ejetado da partida por levar duas faltas técnicas. No returno o ar da partida continuou bastante caloroso, Duda Machado foi expulso por duas faltas técnicas logo no início da partida e Jamaal e Pilar voltaram a se estranhar.

No primeiro embate das semi-finais pareceu ser a gota d’água para o vice-presidente de quadra e salão do Vasco, Jorge Veríssimo: “O que vimos hoje na quadra não foi uma coisa comum, não foi um jogo de basquete, parecia mais até rúgbi, futebol americano. O jogador Jamaal praticou todas as irregularidades possíveis e imagináveis, agrediu com socos e cotoveladas. O Ansaloni deu um soco no Holloway e não foi punido. A arbitragem teve uma atuação horrorosa que alterou o resultado da partida.”
Perguntado se o Vasco tomaria alguma medida a respeito das reclamações acerca da arbitragem, Jorge disse que vai se reunir com o presidente Alexandre Campello para debater o assunto - “O Vasco, como instituição está profundamente revoltado, porque o que houve aqui foi um jogo de violência permitido pela arbitragem. Eu vou consultar o meu presidente para saber o que vamos fazer a respeito disso. Eu estou preocupado com a partida de sábado.’’ - afirmou o vice-presidente do Vasco.
Vasco e Botafogo se enfrentam em partida válida pela segunda rodada das semifinais do Carioca neste sábado (15/09), em São Januário às 15 horas, com entrada franca para os vascaínos. O alvinegro vence a série por 1x0 e o cruzmaltino precisa vencer para forçar um terceiro jogo e definir o primeiro finalista do Campeonato Carioca 2019.

Por: Igor Soares

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

FreeLove pede dispensa; Nick Okorie é contratado
Por: Daniel Morais


O torcedor Vascaíno foi pego de surpresa na manhã desta quinta-feira ao ler que o recém-contratado FreeLove, pediu dispensa e não é mais jogador do Vasco.  De acordo com a Assessoria do Vasco, a saída foi ocasionada por motivos pessoais do atleta.

A passagem de FreeLove no Vasco durou somente 3 partidas, sem nenhum destaque por parte do jogador.

TEM CONTRATAÇÃO NA ÁREA! 


Para substituir a saída do FreeLove, a diretoria acertou a contratação do ala/armador norte-americano Nick Okorie. O atleta, de 30 anos, 1,85m e 88kg, disputou o último Novo Basquete Brasil (NBB) pelo Vitória.

Formado pela Universidade Texas Tech, o norte-americano atuou em cinco ligas diferentes na Europa – Finlândia, Alemanha, Dinamarca, Islândia e Áustria.

Lances da nova contratação do Vasco em duelo com Holloway



Números de Nick Okorie:

LNB

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Vasco estreia no NBB11 contra o Joinville

A liga divulgou a tabela dos jogos do NBB11. O Gigante do Basquete vai enfrentar o Joinville, na estreia. Logo após o Vasco sai do Rio para enfrentar Bauru, Franca e Minas, todos fora de casa. Confira os jogos abaixo:

19/10 - 19h - Vasco x Joinville - Gin. São Januário

23/10 - 20h - Bauru x Vasco - Gin. Panela de pressão

25/10 - 20h - Franca x Vasco - Gin. Pedrocão

31/10 - 19h - Minas x Vasco - Arena Minas tênis clube

02/11 - 19h - Vasco x Paulistano - Gin. São Januário

10/11 - 14h - Flamengo x Vasco - Arena Carioca 1

17/11 - 14h - Vasco x Corinthians - Gin. São Januário

Confira tabela completa no site da LNB

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Ainda sem o entrosamento ideal, Vasco sai derrotado no clássico em São Januário
Holloway. 📷: @fotodojogo

Na noite de terça-feira, dia do aniversário do clube, o Vasco entrou em quadra pelo Campeonato Carioca contra o Botafogo, no Ginásio de São Januário. O time vinha de vitória na estreia contra o Niterói Basquete Clube e projetou esse clássico como o primeiro teste para a temporada. O Botafogo também disputará o NBB 11, o que reforça a preparação para o campeonato nacional que começará em outubro. O Vasco contou com os reforços Joshua FreeLove e Duda Machado, ausentes da última partida.
O Botafogo iniciou melhor, com o quinteto inicial mais entrosado que o do time cruzmaltino. O clima dentro de quadra já dava indícios de que o ritmo do jogo seria intenso, apesar de ambos estarem em início de temporada e com elencos reformulados. O Vasco sofreu bastante com a falta de entrosamento, principalmente na defesa, que não se encontrou no primeiro quarto. O técnico Alberto Bial tentou alternar para uma marcação em zona já no final do quarto, mas que não surtiu efeito.
No segundo quarto o Vasco entrou no jogo. Holloway, principal jogador do elenco, e o jovem Alexei, destaque do Vasco na partida, descontaram o prejuízo do primeiro quarto com algumas boas jogadas no ataque. Além disso, a defesa cruzmaltina foi mais agressiva, ao voltar com a marcação individual que iniciou o jogo, o que forçou o Botafogo a cometer alguns erros. Já no final do período, o Vasco conseguiu passar a frente em uma bola de três de Duda Machado, mas o jogo foi para o intervalo empatado em 54 pontos.
Após o intervalo, o técnico Bial voltou para quadra com Duda entre os titulares, além de Holloway, Vithinho, Pilar e Muldrow. O terceiro quarto foi bastante equilibrado, com destaque para o Duda, que contribuiu com algumas bolas do perímetro. Já na metade final do período, o jogo começou a ficar quente, com faltas duras de ambos os lados. Destaque para o armador Alexei, que mostrou ter evoluído seu jogo ofensivo desde a temporada passada.
No último quarto, o Vasco não iniciou bem novamente e teve que correr atrás do placar durante os dez minutos finais. A intensidade do jogo aumentou quando se aproximava do fim. Alguns momentos da partida a arbitragem teve trabalhado para manter os ânimos do jogo, principalmente na segunda falta técnica do pivô botafoguense Arthur e na falta dura do Ala vascaíno Pilar no armador Jammal, do Botafogo. Com o placar em desvantagem por cinco pontos, o Vasco tentou, já nos minutos finais, um contra-ataque com Alexei, mas que foi rejeitado com um belo toco do pivô Maique. Fim de jogo: 74-82.
Próximo confronto é contra o Flamengo, no sábado, às 17h. A partida será no Tijuca Tenis Clube, com mando do Flamengo.

Por Eric Miranda