quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Com a chegada de Sam Muldrow, o Vasco vai com força máxima para o Carioca
Sam Muldrow em seu último clube.

A equipe do Vasco está preparada para o início do campeonato carioca de basquete. Nesta semana, o norte-americano Sam Muldrow, chegou ao Rio e completou o elenco. O pivô já conheceu seus companheiros e, já está treinando.

O período de treinos tem sido bastante positivo. Os jogadores vêm conseguindo um bom entrosamento e todos, buscando seu lugar no quinteto titular.

O pivô Lucão, recém contratado, comentou sobre a ansiedade da estreia:"Com a chegada do Sam estamos completos. Estou ansioso e muito empolgado para vestir a camisa do Vascão! É trabalhar para iniciar bem o Carioca." - Lucão

Vale lembrar que a estreia do Vasco é domingo, no Ginásio Instituto Abel, às 15hrs, contra o Niterói.

Por: Daniel Morais 

domingo, 12 de agosto de 2018

O 'Cariocão' de basquete está de volta!
Vai começar o #CariocaDeBasquete
Imagem: Rafael Ribeiro/ Vasco

Apelidado no futebol como "o campeonato mais charmoso do mundo", o Carioca está de volta ao quadro do basquete nacional. Depois de uma temporada (2017-2018) fora do calendário por problemas com mando de quadra e boicote por parte dos principais times, o campeonato está de volta e promete fortes emoções aos torcedores.

Vasco da Gama, Niterói, Botafogo e Flamengo participarão da competição que inclui a sua primeira fase de pontos corridos (para decidir quem terá o mando no terceiro jogo do mata-mata) e uma segunda fase com semifinal e final. A princípio, os jogos serão realizados na Arena Deodoro, Ginásio Oscar Zelaya, Ginásio do Instituto Abel, Ginásio Vasco da Gama e Ginásio Hélio Maurício. Por questões de custo-benefício, a Arena Carioca não participará do campeonato, já que o seu custo, segundo uma matéria do GloboEsporte, está em torno de 14 mil por jogo.

Ajude nosso projeto conseguir fazer a cobertura completa durante toda a temporada. Clique aqui e colabore!

O Vasco da Gama chega para disputar o Campeonato Carioca de Basquete de 2018 com um elenco completamente diferente da última temporada no NBB. Jogadores como Nezinho, David Jackson, Fúlvio, Giovannoni e Lucas Mariano saíram do clube e deram espaço aos novos integrantes da equipe: Duda Machado, Holloway. FreeLove, Gemerson, Rafa Oliveira e entre outros atletas.

Antes da confirmação do basquete vascaíno para a temporada, os torcedores e amantes do esporte viveram momentos de tensão. Rumores de um possível término do esporte rondaram as rede sociais até que o clube começasse a contratar novos atletas e anunciar que reforumularia o elenco para a temporada.

Na temporada 2017-2018, o presidente Eurico Miranda investiu forte no basquete e contratou craques como Giovannoni, Lucas Mariano e Fúlvio, mas, mesmo assim, o time não encaixou, os salários ficaram atrasados por muitos meses e a equipe acabou sendo eliminada para o Bauru nas oitavas.

O elenco para a temporada atual está diferente. Com menos poder de investimento, mas aparentando uma consciência financeira, o Vasco contará com a experiência de seu novo treinador Alberto Bial para almejar futuras conquistas. A conquista de maior probabilidade seria o Campeonato Carioca, competição curta, com poucos times e que o clube não vence desde 2001.

A esperança da competição é reavivar as rivalidades de Vasco, Flamengo e Botafogo para, assim, termos de volta (dessa vez, para ficar) o Campeonato Carioca de Basquete.

Sigam nossas redes sociais!

Twitter: @basketballvasco
Facebook: Vasco Basketball
Instagram: Vasco Basketball
Youtube: Vasco Basketball

Por: Matheus Reis Couto 


domingo, 5 de agosto de 2018

Análise do elenco - Vasco 2018/2019
ANÁLISE DO ELENCO – VASCO 2018/2019

Imagem: Vasco


1- ARMADORES (PG)

VITHINHO

NOME: Vithor Eli Lersch da Silva
NASCIMENTO: Santa Cruz do Sul (RS) - 14/08/1995 - 22 anos
ALTURA: 1,85 m

MÉDIAS NO ÚLTIMO NBB: 15.5min/ 4.5pts/ 2.8ass / 1.9rebs/ 4.3ef
MÉDIAS NA LDB: 26.1min/ 8.5pts/ 4.9ass/ 3.8rebs/ 11ef

SOBRE: A carreira teve início em sua cidade natal, aos 14 recebeu um convite para jogar em São Paulo, no Círculo Militar, e antes de ir para o Mogi teve uma passagem nas categorias de base do Paulistano. Começou a ter uma importância maior na equipe mogiana na última temporada, após a saída de Elinho, Vithinho passou a ser o reserva imediato de Larry Taylor. Assim teve mais tempo de quadra para mostrar o seu basquete. Sua principal característica é o poder de armar o jogo com bastante velocidade, usando sempre os bloqueios dos pivôs para finalizar as jogadas com arremessos de média e longa distância ou realizar infiltrações velozes. Vale lembrar que Vithinho é o jogador mais jovem do NBB a realizar um triple-double.

ARMANI

NOME: Juliano Armani Monteiro Silva
NASCIMENTO: São Paulo (SP) – 15/11/1997 – 20 anos
ALTURA:1,85 m

MÉDIAS NA LDB 2017: 31.7min/ 17pts/ 3.4rebs/ 4.8ass/ 12.8ef
MÉDIAS NO ÚLTIMO: 5.1min/ 1.4pts/ 0.3 rebs/ 0.4ass/ 1ef

SOBRE: Juliano Armani já nasceu no mundo do basquete, seu pai, Padola, é muito conhecido na base do baquete brasileiro por formar grandes atletas, e não seria diferente com seu filho. Padolinha fez as categorias de base no Pinheiros, aonde obteve grande sucesso. Em 2017 foi convidado pela equipe do Basquete Cearense para ser o armador principal na LDB, aonde foi um dos melhores jogadores da competição e líder em pontos, e ser a sombra de Davi Rossetto e Paulinho Boracini no NBB. Porém os mesmos fizeram uma excelente temporada não dando chances a Armani. Suas pricipais características são o bom chute de três pontos, as infiltrações e uma boa defesa.

ALEXEI

NOME: Alexei Gustavo Patrício
NASCIMENTO: Jaraguá do Sul (SC) – 07/06/1997 – 21 anos
ALTURA: 1,93 m

MÉDIAS NA LDB 2017: 27.9min/ 13.6pts/ 3,7rebs/ 3,6ass/ 4.9ef
MÉDIAS NO NBB ÚLTIMO NBB: 5.9min/ 1.9pts/ 0.6rebs/ 0.3ass/ 1.3ef

SOBRE: Alexei começou no basquete muito cedo, em sua cidade natal, treinado pelo seu pai Julio Patricio técnico do time feminino de Jaraguá. Alexei passou por vários times na base, Praia Clube, Joinville, Palmeiras, até ser convidado para disputar o NBB 15/16 pelo Macaé. Em 2017 foi um dos destaques da LDB jogando pela equipe do Curitiba Basquete, o que fez com que o Vasco o contratasse para compor o time do NBB 17/18, porém não teve muitos minutos para demonstrar o seu basquete, já que o time contava com os experientes Nezinho e Fúlvio para a posição 1. As principais características de Alexei são a visão de jogo, a facilidade para pontuar e a defesa. Ele também pode jogar na posição 2.

Ajude nosso projeto conseguir fazer a cobertura completa durante toda a temporada. Clique aqui e colabore!

2 – ALAS-ARMADORES (SG)

HOLLOWAY

NOME: Desmond Holloway
NASCIMENTO: Indianapolis/IN (EUA) - 28/03/1990 – 28 anos
ALTURA: 1,93 m

MÉDIAS DO ÚLTIMO NBB: 30.5min/ 16.2 pts/ 3.5ass/ 5.8rebs/ 16.5ef
MÉDIAS DA CARREIRA: 29.8min/ 17.8pts/ 2.3ass/ 5.1rebs/ 17.3ef

Holloway começou a sua carreira no basquete como todo jogador americano, em sua escola, Emmerich Manual High School. Foi convidado em 2008 para fazer parte do time da Wabash Valley University, aonde não teve oportunidades nos dois primeiros anos de faculdade. Após os dois primeiros anos de inércia conseguiu se transferir para Coastal Carolina University, na qual conseguiu ter minutos de quadra e realizou uma boa temporada, em seu último ano de college disputou a primeira divisão da NCAA pela Sauk Valley CC e acabou não sendo draftado. Após o fracasso no draft de 2012, Holloway se transferiu para o basquete mexicano, ficando poucos meses até receber uma proposta da Liga Sorocabana. Sua primeira temporada no NBB foi incrível, com mais de 20 pontos de média, logo no ano seguinte se transferiu para o Paulistano e continuou sendo um dos destaques da Liga, na temporada 15/16 aceitou uma proposta do Pinheiros e manteve a sua regularidade, sendo coroado na temporada 16/17 como o melhor jogador do NBB. Holloway é um jogador completo, muito habilidoso, excelente chute de média e longa distância, além de uma boa defesa.


JOSHUA FREELOVE

NOME: Joshua Brandon FreeLove
NASCIMENTO: North Lauderdale/FL (EUA) – 18/09/1990 – 27 anos
ALTURA: 1,87 m

MÉDIAS NA ÚLTIMA TEMPORADA (COSTA RICA): 28min/ 13.1pts/ 3.6ass/ 4.2rebs
MÉDIAS NO COLLEGE (NCAA): 25min/ 13.5pts/ 1.1ass/ 2.1rebs

Joshua teve um início muito promissor no high school, sendo considerado o melhor jogador do estado da Flórida em 2009, no mesmo ano recebeu proposta pra jogar na Toledo University, aonde teve boas chances de jogo, mas não aproveitou-as e acabou sendo transferido para Lewis and Cook University, não tendo chances de jogar. No seu penúltimo ano de college, FreeLove jogou pela Alabama University, na qual conseguiu ser protagonista, levando o time a um desempenho raro, por se tratar de uma faculdade não muito tradicional no basquete. Em seu último ano na NCAA, Joshua optou por buscar uma faculdade com mais tradição no basquete, visando o draft, porém não conseguiu levar University at Buffalo às fases finais do torneio, por fim não foi draftado para a NBA. FreeLove chegou a jogar na G-League da NBA pelos times correspondentes a Phoenix Suns e Boston Celtics, mas não foi aproveitado. Após isso ele rodou por vários países - Costa Rica, Albânia, Letônia, Marrocos, Colômbia, entre outros. FreeLove é um jogador muito experiente, tendo jogado em várias ligas, tem um jogo pautado na velocidade e força física, o que o torna um bom defensor e também gosta de arremessar do perímetro.

3- ALAS (SF)


DUDA MACHADO

NOME: Eduardo Magalhães Machado
NASCIMENTO: Rio de Janeiro (RJ) – 10/09/1982 – 36 anos
ALTURA: 1,92 m

MÉDIAS NO ÚLTIMO NBB: 21.5min/ 10pts/ 2.5ass/ 2.5rebs/ 9.1ef
MÉDIAS NA CARREIRA: 25.4min/ 11pts/ 2.7ass/ 2.4rebs/ 10.3ef

Assim como o irmão, Marcelinho Machado, começou sua carreira na base do Fluminense se destacando muito pelos seus arremessos de 3 pontos, mais uma vez seguindo os passos do irmão. Duda é um jogador muito experiente, já rodou por diversos times brasileiros - Londrina, Limeira, Brasília, Flamengo, Macaé, Mackenzie, Basquete Cearense e Bauru - e consquistou muitos títulos, inclusive o Torneio de Três Pontos do NBB 2016. Há quem pense que Duda é apenas um ala “gatilho”, além do seu talento para arremessar de longa distância, ele é um jogador muito completo, consegue auxiliar na armação, não é um jogador muito físico para a defesa, mas compensa com a sua inteligência tática, além, de ser um excelente passador. Certamente vai acrescentar muito ao jovem elenco do Vasco.


4- ALAS-PIVÔS (PF)

PILAR

NOME: Henrique Macia Alves da Cruz
NASCIMENTO: São Paulo (SP) – 14/02/1984 – 34 anos
ALTURA: 2,00 m

MÉDIAS NO ÚLTIMO NBB: 7.1min/ 2.3pts/ 0.3ass/ 1.3rebs/ 2.8ef
MÉDIAS NA CARREIRA: 22min/ 8.2pts/ 1.7ass/ 4.4rebs/ 9.9ef

Iniciou a sua carreira nas categorias de base de São Paulo nos tradicionais clubes Hebraica e logo depois no Continental, já demonstrando sinais de que seria um jogador muito completo. Seu primeiro NBB foi o 10/11 pelo Bauru, desempenhando uma função tática muito importante e chegou a jogar até de armador, a versatilidade sempre foi um ponto especial de Pilar, ala de origem, pode jogar em todas as posições, isso se dá pelo fato de ser um jogador extremamente inteligente, tendo facilidade de marcar jogadores mais altos nas posições 4 e 5, além de ter uma certa habilidade para enfrentar jogadores das posições 1 e 2. Nos últimos anos ele acabou se firmando como ala/pivô por ter quase 2 metros de altura e ter essa capacidade de combater caras maiores. Por ser um jogador “coringa” ele terá muito a ajudar no time de Alberto Bial.


GEMERSON

NOME: Gemerson da Silva Barbosa
NASCIMENTO: Lençóis (BA) – 29/03/1993 – 25 anos
ALTURA: 2,05 m

MÉDIAS NO ÚLTIMO NBB:18.7min/ 6.7pts/ 0.7ass/ 2.3rebs/ 5.2ef
MÉDIAS NA CARREIRA: 17.9min/ 5.6pts/ 0.7ass/ 5.7ef

Começou a jogar basquete com 15 anos no interior da Bahia e logo já foi convidado para fazer parte da seleção baiana sub-17, no ano seguinte, 2009, quando ainda trabalhava com seu pai como assistente de pedreiro, Gemerson recebeu uma proposta para jogar basquete em Minas Gerais, no clube Paraíso, aonde passou dois anos de sua vida, se destacou muito e foi contratado pelo Paulistano, passou um ano na base do clube de São Paulo e com 19 anos começou a ter chances nos profissionais e não saiu mais, chegou até a ser convocado para a seleção brasileira adulta em 2014, com apenas 21 anos. Ficou no Paulistano até a temporada 15/16 quando se transferiu para o E.C. Pinheiros tendo um papel mais importante no time. Gemerson chega ao Vasco para brigar por uma posição ali no garrafão, seu jogo é muito pautado na força física, tem um excelente jogo defensivo e vem se aperfeiçoando nas bolas de média e longa distância.


RAFA OLIVEIRA

NOME: Rafael de Oliveira Silva
NASCIMENTO: Divinópolis (MG) – 23/01/1993 – 25 anos
ALTURA: 1,98 m

MÉDIAS NO ÚLTIMA TEMPORADA (LIGA OURO 2018): 25.9min/ 10.7pts/ 1.8ass/5.4 rebs/ 13ef
MÉDIAS NA LDB: 24.2 min/ 10pts/ 1.1ass/ 6.9rebs/ 13.8ef

Rafa teve início no basquete em sua cidade natal aos 15 anos em um projeto social, rapidamente se destacou e foi chamado para compor a equipe sub-17 do SESI/Uberlândia e logo depois o sub-19 do Praia Clube/MG. Sua carreira profissional iniciou-se no clube Ginástico/MG após grandes partidas na LDB. Seu sucesso também no campeonato mineiro fez com que muitas equipes obtivessem interesse em Rafa, principalmente o Minas Tênis Clube, aonde fez grandes temporadas na LDB e algumas boas partidas já no NBB. Após o término de seu contrato com o minas ele jogou a Liga Ouro 2017 pelo Contagem/MG, quando terminaram na terceira posição. Antes de acertar com o Vasco para o NBB 18/19, Rafa jogou a Liga Ouro 2018 pelo Macaé, sendo um dos destaques do time, e um dos jogadores mais eficientes do torneio. Seu estilo de jogo é baseado na disposição, entrega, defesa e além disso vem se tornando um jogador pontuador, está melhorando cada vez mais seus arremessos de quadra e do perímetro.



LUIZ FELIPE

NOME: Luiz Felipe Moreira do Espírito Santo
NASCIMENTO: Queimados (RJ) – 11/05/1998 – 20 anos
ALTURA: 1,95 m

MÉDIAS NO ÚLTIMO NBB: 0.5pts/ 1reb
MÉDIAS CAMPEONATO CARIOCA 2017: 9.3 pontos (a FBERJ divulga apenas as médias de pontos)

Luiz Felipe é um jogador criado na base do Vasco, se destacou muito no Campeonato Carioca sub-19 de 2017 e junto com mais alguns jogadores da base foi inscrito no NBB 17/18, porém não teve muitas chances de mostrar seu potencial, foram apenas 4 jogos com menos de 2 minutos em quadra. No ano de 2018 após o fim do NBB, Luiz Felipe se juntou ao Fluminense para a disputa da Copa Brasil sub-21, em que sagrou-se campeão, por ter disputado este torneio ele só poderá jogar o NBB no ano de 2019. Luiz Felipe vem tendo um ganho físico considerável, e vem adaptando o seu jogo nisso, faz infiltrações pelas laterais com muita explosão, consegue agredir o garrafão adversário com bastante intensidade, mas ainda precisa de um jogo mais técnico, buscar melhorar os arremessos, o que ele já vem fazendo nos treinos. Se conseguir aliar a técnica e mecânica a este jogo físico já desenvolvido, ele tem tudo pra ser um grande jogador.




SAM MULDROW

NOME: Samuel Muldrow
NASCIMENTO: Florence/SC (EUA) – 08/06/1988 – 30 anos
ALTURA: 2,06 m

MÉDIAS NO COLLEGE (NCAA): 23.5min/ 7.8pts/ 0.3 ass/ 3.4 tocos
MÉDIAS NA ÚLTIMA TEMPORADA (CANADÁ): 23.8min/ 12.2 pts/ 1.2 ass/ 5.9rebs/ 2.1 tocos

Muldrow deu início a sua vida no basquete em sua cidade natal, jogando em sua escola, Wilson High School e devido ao seu grande desempenho foi convidado a jogar pela South Carolina University, aonde jogou por 4 anos. Sam se destacou muito no college devido à sua defesa muito forte, esteve no primeiro time de defesa por dois anos consecutivos na NCAA (2010 e 2011) e no último ano foi eleito o melhor jogador de defesa da temporada, em grande parte graças a sua média de tocos, 3.4 tocos por partida - lembrando que o atual líder de tocos no NBB é o Teichmann com 1.2 tocos por jogo. Estava elegível para o draft de 2011, em que era um dos principais jogadores de defesa, porém o draft desse ano foi marcado pela grande quantidade de armadores escolhidos. Após o draft, Muldrow jogou a Summer League pelo time correspondente ao Portland Trail Blazers, aonde não foi muito bem e no decorrer de sua carreira jogou em diversas ligas—Grécia, Ucrânia, Lituânia, Alemanha, República Dominicana, Kosovo e Canadá—sempre sendo destaque na defesa. Sam é um ala-pivô de origem, porém em algumas rotações acaba sendo colocado como pivô, no basquete brasileiro ele jogaria na posição 5 sem nenhuma dificuldade. Suas principais características são a força física, a sua leitura de defesa e a quantidade de tocos por jogo.


5- PIVÔS (C)

LUPA

NOME: Luiz Paulo Cecílio dos Santos
NASCIMENTO: São Paulo (SP) – 24/12/1989 – 28 anos
ALTURA: 2,05 m

MÉDIAS NO COLLEGE (NCAA): 22min/ 6.2pts/ 0.5ass/ 6.3 rebs/ 1.2 tocos
MÉDIAS NA ÚLTIMO NBB: 16.7min/ 5.2pts/ 1.3ass/ 4.3rebs/ 6.6ef

Lupa começou sua trajetória no basquete nas categorias de base do tradicional E.C. Pinheiros, se destacou tanto que foi convidado pra jogar na primeira divisão da NCAA, pela Marshalltown Community College, no ano de 2009, aonde não teve oportunidades e se transferiu para uma universidade que disputa a segunda divisão da NCAA, a Slippery Rock University, conseguindo ter minutos de quadra e desempenhando um bom jogo na defesa. Estava disponível para o draft 2013, porém não foi selecionado. No mesmo ano de 2013, foi contratado pela Liga Sorocabana, aonde ficou até 2016, quando se transferiu para o Macaé, disputando apenas uma temporada do NBB e retornando ao seu time de base, Pinheiros. Lupa sempre se destacou pela sua presença no garrafão e jogo físico, muito pelo seu desenvolvimento no basquete norte-americano. É um jogador bem defensivo, que gosta de brigar sempre ali no garrafão.


LUCÃO

NOME: Lucas Moraes dos Santos
NASCIMENTO: João Neiva (ES) – 27/02/1994 – 24 anos
ALTURA: 2,10 m

MÉDIAS NA LDB: 18.9min/ 6.8pts/ 0.5ass/ 5.5rebs/ 9.2ef
MÉDIAS NA ÚLTIMO NBB: 15.2min/ 6.1pts/ 0.6ass/ 3.7rebs/ 7.7ef

Vindo do interior do Espírito Santo, Lucão chegou a base do Vitória/ES com 17 anos e disputou duas edições do LDB pelo time capixaba, se destacou principalmente na LDB 2012, o que abriu as portas para que ele fosse chamado para jogar no Paulistano, para compor o time que disputaria os próximos LDB, ficou no Paulistano de 2013 até 2015 sem ter muitas chances no NBB, mesmo sendo um dos melhores pivôs da Liga de Desenvolvimento. No seu último ano no time paulista ele chegou a ser cotado para jogar os Jogos Pan-americanos de 2015. Em 2016 disputou a Liga Ouro com o Ginástico, entrando sempre muito bem nos jogos, o que o credenciou para ser contratado pela Liga Sorocabana para a disputa do NBB do mesmo ano, ande ficou até o fim da temporada 17/18. Suas principais características são a altura e envergadura, facilitando o jogo dentro do garrafão, é um jogador de muito potencial.

Sigam nossas redes sociais!

Twitter: @basketballvasco
Facebook: Vasco Basketball
Instagram: Vasco Basketball
Youtube: Vasco Basketball


Por: Igor Soares 


quinta-feira, 15 de março de 2018

O caminho de uma promessa, o ala-pivô Elias
Resultado de imagem para elias basquete vasco
Foto: Matheus Lima/Vasco

Ele tem dezesseis anos de idade e há quatro iniciou sua trajetória no basquete – esporte, cada vez mais popular no Brasil. Estamos falando de Elias Batista Costa Brito, ala/pivô do basquete juvenil do Vasco Gama. 
Antes de chegar ao clube, o garoto teve breve passagem pela equipe ASP Clube Municipal, onde não conquistou títulos. Mas, há três anos, muita coisa mudou na vida de Elias.        

O início sem glórias deu lugar a conquistas pessoais e coletivas. Em 2016, ajudou o Vasco a faturar o título do Campeonato Estadual Masculino da categoria Sub-14, sendo o cestinha geral com 302 pontos em 18 jogos, média de 16,77 pontos por partida.           
Em 2017, pela categoria Sub-15, novamente foi o ‘rei das cestas’ com 385 pontos em 20 jogos, média de 19,25 pontos por partida. Porém, dessa vez viu o Vasco ficar com o vice-campeonato.      

AJUDE NOSSO PROJETO! Contribuem com 3 reais para continuação do projeto. Clique aqui!
    
Assim como todo jovem atleta, Elias tem rotina árdua. Acorda às cinco da manhã para ir à escola; treina á tarde em São Januário, chega em casa á noite.       
Em meio às dificuldades, o apoio dos pais tem sido fundamental para o garoto. ‘’Graças a Deus, meus pais sempre me apoiaram e me ajudaram, sem eles eu não conseguiria’’ - declara Elias.    
    
O caminho não é fácil, mas, o ala/pivô mantém viva a esperança. 
‘’Assim como todo menino que atua no basquete, meu sonho é chegar ao profissional, mas... claro que, se puder escolher, vou querer jogar na NBA ou no NBB’’ - completa aos risos.  
Brilhar nas quadras com a tradicional camisa cruz-maltina é outro objetivo do atleta. ‘’Desde os catorze anos estou no Vasco, me sinto bem e gostaria de fazer história aqui’’                  

Atualmente, o talentoso atleta intercala presenças nas categorias Sub-17 e Sub-19 do basquete vascaíno. Com sonhos cada vez mais vivos, no que depender dele, a próxima estação será o time principal do Gigante da Colina.

Por: Lucas Bispo       

sexta-feira, 9 de março de 2018

#NBB Vasco 83x56 Joinville - (pós jogo)


O jogo:

O Vasco entrou em quadra vindo de duas derrotas amargas para Paulistano e Caxias do
Sul, a última ocorrida no mesmo ginásio de São Januário. O quinteto inicial estava
composto por: Fúlvio, David Jackson, Gustavo, Guilherme Giovannoni e Renato. O
jogo se iniciou com a equipe de Joinville implementando um ritmo forte, fazendo 7
pontos seguidos, com o comando do jogador norte-americano Stocks, enquanto a equipe
vascaína continuava nula no placar. O time de Santa Catarina administrou esse resultado
até que Gustavo, D. Jackson e Giovannoni começaram a acertar os arremessos de
quadra e sendo os destaques do primeiro período de jogo. Vasco 23x16 Joinville.

O segundo quarto foi completamente diferente, a marcação do Vasco, como de costume
durante o campeonato, não encaixou e a eficiência no ataque não foi a mesma do
primeiro quarto, assim o time do Joinville entrava no garrafão curzmaltino facilmente,
igualando o resultado. O americano Stocks continuava comandando as ações ofensivas
do time e fez com que a sua equipe abrisse uma grande vantagem sobre o Vasco. Vale a
pena frisar que no segundo quarto, apenas dois jogadores vascaínos pontuaram, Lucas
Mariano com 6 pontos e Gustavo com 5. Vasco 34x37 Joinville.

No terceiro quarto vimos Gui Deodato voltando a jogar o que sabe, o ala fez um
excelente período de jogo, contribuindo demais para a defesa vascaína e o Vasco
rapidamente virou o placar e estabeleceu uma boa vantagem. Destaques também para
Giovannoni com 9 pontos, Lucas Mariano com 8 pontos e David Jackson com 7. Vasco
65x48 Joinville.

No último período de jogo, o Vasco apenas administrou o resultado, deu rodagem para
alguns jogadores que vieram bem do banco, como Chris Hayes. A defesa vascaína não
teve muito trabalho para segurar a equipe do Joinville que já parecia abatida com a
imposição do Vasco no resultado da partida. Fim de jogo. Podemos destacar a volta de
Gui Deodato, jogando bem, pontuando, sendo atuante na defesa e o ponto negativo é
que a equipe do Vasco ainda depende muito de como o David Jackson está na partida,
no segundo quarto, quando o jogador caiu de produção, a equipe fez apenas 11 pontos.
As próximas partidas do Vasco serão as 2 últimas da fase classificatória, dia 24/03, às
14 horas, contra Franca, com transmissão da Band e dia 27/03, às 19:30, contra Bauru,
ambas as partidas serão realizadas em São Paulo.

AJUDE NOSSO PROJETO! Contribue com 3 reais para continuação do projeto. Clique aqui!

Destaques individuais:
David Jackson – 18 pontos, 7 rebotes e 3 assistências;
Guilherme Giovannoni – 15 pontos e 3 assistências;
Lucas Mariano – 14 pontos e 5 rebotes;
Gustavo – 14 pontos, 8 rebotes e 3 assistências;
Gui Deodato – 9 pontos e 3 rebotes;

Chris Hayes – 6 pontos e 3 rebotes;
Renato – 3 pontos e 3 rebotes;
Nezinho – 3 pontos e 5 assistências;
Fúlvio – 1 ponto, 3 rebotes e 6 assistências.

Por: Igor Soares

terça-feira, 6 de março de 2018

Nota: Pronunciamento oficial
Diante da recusa, mais uma vez, da assessoria de imprensa do Vasco da Gama, em liberar a equipe do Vasco Basketball fazer parte da área de imprensa para cobrir o Vasco, em São Januário, viemos por meio dessa nota relatar nossa total indignação e tristeza com a decisão.

Tentamos a credencial há pouco mais de um ano, mas nunca obtivemos sucesso. Entretanto, com a tentativa negada no último contato, é notório a exclusividade com o nosso projeto, visto que outros companheiros conseguiram a liberação junto ao assessor do clube.

Vale ressaltar que, mesmo com todas as dificuldades para realizar o trabalho, constantemente trazemos com excelência a informação para o torcedor vascaíno. Além disso, somos o maior portal direcionado somente ao basquete do clube, sem qualquer tipo de remuneração, feito apenas por pessoas apaixonadas pelo Vasco e pelo esporte.

Por fim, continuaremos a tocar o projeto para frente, independentemente da resposta negativa, sempre em prol do clube. Em outro momento, faremos o contato novamente com a assessoria do Club de Regatas Vasco da Gama, buscando uma explicação para tal ordem.

#LiberemOVascoBasketball

Att, Equipe VascoBasketball.