sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

#NBB10 - Vitória 77 x 75 Vasco (Pós-jogo)
Imagem: LNB
Na noite dessa quinta-feira (07/12), a equipe vascaína entrou em quadra para cumprir seu segundo jogo no Nordeste, contra o Vitória,buscando afastar a crise que persiste em São Januário desde o começo do NBB10. Sendo assim,o quinteto titular mostrou mais vontade no início do jogo, apostando em uma defesa agressiva, limitou o adversário em apenas 17 pontos no primeiro quarto. Já no ataque, destaque para o pivô cruzmaltino Lucas Mariano com 8 pontos. Vasco 21x17 Vitoria.

No segundo quarto,a tônica dos últimos jogos se repetiu. Com muitos erros no ataque, o Vasco facilitava o jogo de transição do adversário,desperdiçando toda vantagem construída no início do confronto. Além disso,a dupla de armadores do Vitória estava em um dia feliz, combinando para 11 pontos antes do intervalo de partida. Vasco 36x38 Vitória.

O terceiro período refletiu o Vasco dessa edição da competição até então. Diante dos constantes erros cometidos pela equipe,o nervosismo tomou conta do experiente elenco vascaíno, que caiu absurdamente de produção na volta para a segunda metade do jogo. Dessa maneira, aproveitando do momento psicológico ruim cruzmaltino, o Vitória abriu larga vantagem de 14 pontos. Passos largos para mais uma derrota. Vasco 52x66 Vitória.

Por fim, a diferença construída pelo adversário sustentou sua vitória, mesmo com uma breve recuperação do Vasco, reduzindo à 1 ponto com pouco mais de 1 minuto para o fim.Insuficiente. Placar final: Vasco 75x77 Vitória. 1-5 na temporada.

Análise Geral: A equipe do Vasco Basketball após o jogo de ontem procurou justificativas para o péssimo início desse elenco que, por muitos adversários, é considerado um forte  candidato ao título. Seria salários atrasados? Não existe informações sobre. Técnico Dedé Barbosa? Ano passado fez um grande trabalho frente ao elenco limitado que possuía. A única certeza é que o basquete apresentado não está a altura do tamanho do Club no esporte. Próximo encontro é dia 19/12, clássico contra o Botafogo,na Arena Carioca 1.

NÚMEROS POR EQUIPE:

REBOTES: 46x40
2PTS:17x22
3PTS:7x7
ASS:14x18

ESTATÍSTICAS:

Fúlvio: 7 pontos 
David Jackson: 20 pontos 
Gui Deodato: 15 pontos 
Giovannoni: 10 pontos 
Lucas Mariano: 15 pontos 
Nezinho: 2 pontos 
Gustavo: 3 pontos 
Dedé Stefanelli: Não pontuou 
Chris Hayes: 3 pontos 
Renato: Não pontuou 


Por Eric Brandão

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

#NBB10 - Basquete Cearense 85 x 76 Vasco (Pós-jogo)
Foto: LNB

O JOGO:

Nessa última terça-feira a equipe cruzmaltina entrou em quadra, após um longo período de pausa por conta dos jogos eliminatórios para o Mundial, buscando se reabilitar na competição. Diante disso, nos minutos iniciais o quinteto titular mostrou uma defesa forte e um bom ritmo de jogo no ataque, fruto dos treinamentos dos últimos 15 dias. Destaque para Guilherme, ala-pivô do Vasco, com 7 pontos no período inicial. Vasco 23x21 Basquete Cearense.

Já no segundo período, o bom começo vascaíno se perdeu em quadra.Com as mudanças de rotação e com a vinda da segunda unidade para o jogo, o quinteto ativo encontrou dificuldades para pontuar e começava a deixar espaços no garrafão, facilitando a infiltração do time adversário. Faltando pouco mais de 3:00 minutos para o intervalo, o Vasco chegou a estar perdendo por 7 pontos, forçando a volta precoce dos titulares para quadra. Tudo igual: Vasco 40x40 Basquete Cearense.

Na volta do intervalo, o Vasco melhorou bastante seu jogo. Apostando em uma defesa por zona, fomentou alguns desperdícios de bola pelo time adversário, ajudando na transição rápida para o ataque. Além disso, contou com a contribuição de Lucas Mariano, que voltou bem dos vestiários. Vasco 62x56 Basquete Cearense.

Tudo indicava que o Vasco conseguiria garantir sua segunda vitória na competição. Contudo, com mais uma queda de rendimento da sua defesa, aceitando 29 pontos apenas no último período, a equipe se perdeu em quadra. Com jogadas forçadas no garrafão para Lucas Mariano e erros na hora da definição das jogadas de ataque, o Vasco não conseguiu suportar a arrancada do Basquete Cearense e conheceu sua quarta derrota na competição. Final: Vasco 76x85 Basquete Cearense.

NÚMEROS POR EQUIPE:

REBOTES: 29x45
3PTS: 9x7
2PTS: 20x25
ASS: 19x13

ESTATÍSTICAS:

Lucas Mariano: 16pts e 7rbts
David Jackson: 14pts
Guilherme: 12pts
Fúlvio: 11pts e 7ass
Deodato: 6pts
Nezinho: 5pts
Gustavo: 4pts
Hayes: 3pts
Renato: 3pts
Dedé: 2pts
Bruninho: Não atuou.

Análise geral: O Vasco amarga mais uma derrota e ocupa o penúltimo lugar na competição. É claro que,se qualquer um afirmasse isso após o título de forma invicta da Copa Avianca, seria motivo para risada. Entretanto,o time do Vasco não jogou em nenhum jogo do NBB, como se comportou no torneio de pré-temporada e,por isso, convive com a fase vigente. Vamos confiar no trabalho do técnico Dedé Barbosa e aguardar o próximo jogo,na quinta-feira,diante do Vitória em Salvador. SporTV transmite às 21 horas.

Por: Eric Brandão

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Brasil vence Venezuela com Fulvio e Lucas Mariano: 72x60
Foto: LNB
Diante de bom público na Arena 1, Brasil vence a Venezuela com Fulvio e Lucas Mariano em quadra.

Fulvio começou a partida formando o quinteto inicial: Fúlvio, Benite, Alex Garcia, Lucas Dias e Varejão.

No segundo quarto, o técnico Petrovic colocou em quadra um quinteto com Ricardo Fischer, Benite, Alex, Hettsheimeir e Lucas Mariano.

Fulvio atuou por 13:40 minutos e ajudou a seleção com 3 assistências. Já Lucas Mariano, teve um destaque maior, atuando 16:40 minutos, anotando 9 pontos e tendo 100% em lances livres 3/3.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

#VascoNaHistória - 2000: O ano de glórias

O ano era 2000. E se no futebol as coisas caminhavam bem, no basquete não era diferente. O Vasco tinha acabado de conquistar o bicampeonato carioca e da liga sul-americana, nesse último colocando fim à dinastia argentina ao derrotar o Boca Juniors no ano anterior e o Atenas Córdoba na edição atual. A empolgação com o momento de ouro do basquete cruzmaltino não era para menos. A torcida, ao lotar diversas vezes o Maracanãzinho, deixava claro que o basquete representava, de fato, o segundo esporte do vascaíno.

Em 2000, Vargas (12) ergue a taça pelo título brasileiro.
Dessa forma, o time formado pelo trio de peso Helinho, José Vargas e Charles Byrd terminou a temporada regular em primeiro colocado e, assim, chegava como favorito a mais uma final de campeonato. Mais uma de tantas outras. Talvez especial por ter sido o sétimo título nacional da carreira do técnico Hélio Rubens? Ou por ter sido o Flamengo de Oscar, rival também no basquete, do outro lado da quadra? Por também completar com chave de ouro um dos anos mais vitoriosos do clube na modalidade?  Motivos não faltaram.

 Ah, e o jogo? Como todo clássico dos milhões: tenso, equilibrado, disputado. Após 4 períodos longos de jogo, foi decidido na prorrogação. E das mãos de Helinho, decidindo nos minutos finais, o clube se aproximava de mais um título brasileiro. Pode invadir a quadra! Pode festejar! O Vasco é bicampeão brasileiro de basquete.

Confira os melhores momentos abaixo



Por: Eric Brandão

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Opinião: 3 derrotas em 4 jogos
Foto: LNB
O que estaria acontecendo com o Gigante do Basquete?

Na verdade, pode ser uma junção de coisas, que no fim, se torna em derrotas. Vou tentar explicar.

O elenco ainda não tem um entrosamento ideal para o NBB, isso é fato. Mas será que a pré-temporada sem o campeonato carioca estaria fazendo falta? Digo para você que não.

Em 2016, o Vasco disputou 10 jogos no carioca, sem contar o terceiro jogo da final, que o Vasco decidiu não entrar em quadra. Os adversários durante o campeonato foram: Botafogo, Macaé e Flamengo.

Já na pré-temporada antes do início do NBB 10, o Vasco disputou 3 amistosos, contra o Basquete Cearense, seleção Chilena e Vitória, e logo depois, na Copa Avianca, o Vasco disputou mais 6 jogos, totalizando o número de 9 partidas. Sendo que, durante o torneio em Minas Gerais, o Vasco jogou contra o Vitória, Basquete Cearense, Botafogo, Flamengo e Minas, todos participantes do NBB.

Após essa explicação de números de partidas realizadas, será que a falta do campeonato carioca seria o resultado do mal início no campeonato?

A não participação no carioca, não é motivo e nem desculpas para o início ruim do time cruzmaltino. A resposta é simples: Falta de entrosamento.

O time do Vasco, que ano passado era formado pela base que disputou a Liga Ouro, hoje somente conta com Nezinho e Jackson, remanescentes daquele elenco. De resto, todos são jogadores novos, incluindo jogadores da base, que ainda não atuaram.

O Vasco precisa de entrosamento. E esse entrosamento só vai acontecer através de treinamentos, e, principalmente, jogos.

A torcida precisa abraçar o time neste momento. O basquete voltou a ser o segundo esporte do Vascaíno, e as glórias do passado, podem voltar, só depende dos jogadores e de nós, torcedores e amantes do basquete.

Por: Daniel Morais

sábado, 18 de novembro de 2017

#NBB10 - Vasco 75 x 82 Mogi (Pós-jogo)
Lucas Mariano

O JOGO:

A equipe Vascaína entrou em quadra na tarde desse sábado (18/11), buscando uma sequência positiva na competição. Dessa forma, foi nítida a mudança de postura no primeiro quarto de jogo, com uma defesa sólida e forçando bastante o jogo dentro do garrafão adversário, o Vasco conseguiu abrir uma vantagem considerável. Vasco 22x13 Mogi.

Já no segundo período, os reservas comandados por Nezinho e Renato não conseguiram dar continuidade ao bom começo de jogo, reflexo da agressiva defesa da equipe de Mogi das Cruzes, que apostou na transição rápida para o ataque objetivando retornar à partida. Outro ponto negativo da equipe de São Januário foi a preocupação recorrente com as decisões da arbitragem, destacando o jogador Lucas Mariano que foi para o intervalo com 3 faltas individuais. Vasco 37x44 Mogi.

No terceiro quarto, o público que compareceu à Arena Carioca 1 tentava motivar o time para buscar o resultado. Entretanto, com a insistência em erros individuais e desperdícios de posse de bola, o Vasco viu o Mogi das Cruzes apenas administrar o resultado.

Perto do fim, a vantagem construída pelo adversário ao longo do jogo foi crucial para definir o placar. Mesmo com o apoio vindo dos torcedores, o Vasco não conseguiu encostar realmente e pagou pela inconsistência ao longo de toda partida, conhecendo sua terceira derrota na competição. Fim de jogo: Vasco 75x82 Mogi das Cruzes.

NÚMEROS POR EQUIPE

REBOTES: 35x42
3PTS: 6x9
2PTS:22X20
ASS:19x19

 ESTATÍSTICAS

Lucas Mariano: 13p, 8 reb
Gui Deodato: 4p
Fúlvio: 5p, 5 ast e 4 reb
Giovanonni: 8p e 4reb 
David Jackson: 17p e 4ast 
Nezinho: 9p e 6ast
Renato: 14p e 7reb
Gustavo: 6p
Hayes: 3p
Bruninho: não atuou
Luiz Felipe: não atuou

Análise geral: O Vasco ainda não se encontrou na competição. Após um começo animador durante a Copa Avianca, onde se consagrou campeão de forma invicta, o time sofre com uma defesa lenta, fruto do escasso período de pré-temporada e, consequentemente, da falta de entrosamento do remodelado elenco vascaíno. Próximo encontro é no dia 5/12, fora de casa, contra o Basquete Cearense, após duas semanas fora das quadras. Haverá transmissão ao vivo do SporTV.

Por: Eric Brandão.